Notícias em Destaques


AES não perde nunca!

Incrível, mas o BNDES irá abrir mão da AES Tietê a única empresa saudável que daria alguma segurança ao negócio no acordo de renegociação da dívida da Eletropaulo. O nível de apelação é absurdo: O Diretor do BNDES, Roberto Timóteo, na matéria abaixo, já admite trocar a garantia da AES Tietê por “outros confortos financeiros”.…

O consumidor é o verdadeiro investidor

Leio nos jornais: “De acordo com Wolfgang Rüth, especialista em energia da Roland Berger, no modelo proposto, ao oferecer um “mix” de energia velha – fornecida pelas atuais geradoras – e energia nova – das futuras usinas, há um subsídio embutido.” A energia velha será vendida a um preço baixo, que não leva em conta…

O Pool pode ser uma péssima idéia

Quando, em 2002, o Instituto da Cidadania convidou um grupo de técnicos para formular as diretrizes para o que seria um novo modelo para o setor elétrico brasileiro, o espírito dominante era o do interesse público e o do resgate do papel do estado através de suas empresas públicas. Sob esse amplo conceito, estava claro…

O Pool é uma boa idéia

Quem já dirigiu seu automóvel pela Avenida Nossa Senhora de Copacabana em horário comercial, sabe que particulares não podem trafegar pelas pistas da direita. Elas ficam tomadas de ônibus que disputam os passageiros ao longo dos quatro quilômetros da avenida. Vista de cima, a via parece “asfaltada” de tetos de ônibus, tal a quantidade de…

Responsabilidade Pública

É verdade, o consumidor brasileiro está começando a exigir seus direitos. Isso é muito positivo e, na realidade, resulta de um duro aprendizado e ainda exige uma longa conquista. Entretanto, alguns relacionamentos entre consumidores e fornecedores não podem ser deixados ao sabor dessa nova força da cidadania. São setores cujo sistema de produção não apresentam…

Energia Emergencial: A Confissão do Fracasso

O modelo mercantil, escolhido para estruturar o setor elétrico brasileiro já provocou um racionamento, alguns apagões e um ambiente tão incerto, que, cada vez menos se assemelha a um mercado. As regras estão tão indefinidas, que, hoje, não sabemos quantificar a energia que dispomos para compor a oferta de eletricidade no futuro. Não se trata…